SIGA O JUSCELINO NAS REDES  
  
  
  
  
Home > Comida > Queijos e vinhos: um guia rápido para não errar na hora de escolher

Queijos e vinhos: um guia rápido para não errar na hora de escolher

Sim, certamente todos foram felizes com amigos e amores, naquelas noites de ‘queijos e vinhos’ que começaram nas gôndolas do supermercados, com queijos variados e garrafas de vinho tinto.

Okey, sabemos que a ocasião e as boas companhias são fundamentais para as experiências entre pratos e taças, mas um pouco de cuidado e informação só pode potencializar o prazer.

E é por isso que afirmamos: quando se trata de harmonização com queijos, o pulo do gato está no vinho branco. É ele que tem mais chances de brilhar.

A acidez natural dos queijos costuma bater de frente com os taninos, criando às vezes sensações adstringentes e desagradáveis. Dessa forma, brancos leves e com boa acidez combinarão com a maioria dos queijos, assim como os espumantes.

Mas e os tintos? Vão fazer bonito ao lado dos tipos certos de queijo, como os mais curados, que perdem a acidez com o tempo, e gordurosos. Ainda assim, a preferência deve recair sobre tintos mais leves.

Por fim, quando levamos em conta o sal dos queijos, especialmente os azuis, podemos equilibrá-los com vinhos doces ou fortificados.

Os tintos se saem melhor ao lado de queijos mais curados e gordurosos, que perdem a acidez com o tempo, e ainda assim devemos dar preferência aos mais leves, como os feitos com a uva Gamay

Guia de consulta rápida

Queijos frescos

Feta, Mascarpone, Ricotta, Mozzarella, Burrata, Minas, Valençay, Saint-Maure de Touraine

Combinam melhor com:

Brancos leves: Vinho Verde, Sancerre, Pouilly-Fumé e outros Sauvignon Blanc, Alvarinho, Muscadet, Pinot Grigio, Moscato, Chablis e outros Chardonnay (sem passagem por madeira), Chenin Blanc

Queijos de massa mole

Camembert, Brie, Coulommiers, Brillat-Savarin, Pont L’Évêque, Serra da Estrela, Reblochon

Combinam melhor com:

Espumantes: Nacionais, Cava, Champagne, Prosecco
Brancos leves: Riesling, Gewürztraminer, Vinho Verde, Sauvignon Blanc, Alvarinho, Muscadet, Pinot Grigio, Viognier, Chablis e outros Chardonnay (com ou sem passagem por madeira), Chenin Blanc

Tintos leves: Beaujolais Nouveau e outros feitos com maceração carbônica, Gamay em geral

O francês Camembert, de massa mole, pede brancos como Riesling, Vinho Verde, Sauvignon Blanc e Viognier, ou um delicioso Chablis. O Beaujolais Nouveau é recomendado entre os tintos

Queijos semimoles

Gouda, Maasdam, Asiago, Saint-Paulin, Edam, Taleggio, Jarlsberg, Langres

Combinam melhor com:

Brancos leves e frutados: Gewürztraminer, Torrontés, Grüner Veltliner, Vermentino, Riesling, Arneis, Chenin Blanc

Tintos leves e frutados: Beaujolais, Barbera, Dolcetto, Pinot Noir, Merlot (sem passagem por madeira)

Queijos duros

Emmental, Gruyère, Prima Donna, Grana Padano, Parmigiano Reggiano, Pecorino, Aged Cheddar, Manchego, Provolone, Comté

Combinam melhor com:

Espumantes de porte como os nacionais de método tradicional, e champagne

Tintos de vários portes: Chianti, Tempranillo, Barolo, Brunello, Bordeaux, Rhône, Priorat, Zinfandel, Cabernet Sauvignon, Merlot

Doces e fortificados: Auslese, Spätlese, Porto Tawny, Madeira, Jerez

Os chamados queijos azuis, mofados, curados e pungentes no sabor, são ótimas companhias para fortificados como o Vinho do Porto, o Sauternes e os Late Harvest de modo geral 

Queijos azuis

Roquefort, Gorgonzola, Stilton, Bleu d’Auvergne

Combinam melhor com:

Doces e fortificados: Vinho do Porto, Sauternes, Late Harvest, Icewine, Auslese, Spätlese, Tokay, Jerez, Pedro Jimenez, Madeira etc.

Por Revista Adega

Você pode gostar também de
Faça o vinho tinto virar geleia para acompanhar boa seleção de queijos ou café da manhã

Deixe o seu comentário